Estudos arqueológicos em Coremas, Pombal e São José da Lagoa Tapada

[ATIVIDADE DE ESCLARECIMENTO]*

Em junho, arqueólogos da A Lasca estiveram em Coremas, Pombal e São José da Lagoa Tapada para realizar estudos de campo. Nesse período, foram entregues folhetos explicativos para distribuição à população nas instituições abaixo citadas, com o objetivo de informar sobre a necessidade de estudos arqueológicos para o licenciamento ambiental de empreendimentos modificadores do meio ambiente.

  • Em Coremas, na Secretaria Municipal de Cultura;
  • Em Pombal, no Departamento Municipal de Educação;
  • Em São José da Lagoa Tapada, na Secretaria Municipal de Educação.

Essa ação de esclarecimento e extroversão é parte integrante do projeto Avaliação de impacto ao patrimônio arqueológico na área de implantação do Complexo Solar Coremas. Esse estudo foi autorizado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, órgão do Governo Federal responsável pela gestão do patrimônio arqueológico, por meio da Portaria n.º 31 de 28/05/2018.

Por que são necessários esses estudos?

Sítios arqueológicos são bens da União e são protegidos por legislação federal, Lei n. 3.924/61, sendo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan o órgão responsável pela proteção desses sítios. A legislação objetiva a proteção desses bens e exige estudos prévios como forma de garantir a redução dos impactos ao patrimônio arqueológico durante a implantação de atividades e empreendimento potencialmente modificadoras do meio ambiente.

Para que se possa ter sucesso na proteção dos bens culturais, sejam os arqueológicos ou quaisquer outros, é importante o entendimento de que todos nós somos responsáveis por cuidar desses bens para que as gerações futuras possam conhecê-los.

Esta ação busca estimular as percepções e envolver os moradores com seu patrimônio, desenvolvendo, ou ainda, exercitando noções de pertencimento, de identidade e alteridade. Estas atividades são forma de diálogo entre os pesquisadores e a comunidade, visando à valorização, ressignificação e proteção do patrimônio arqueológico e cultural da cidade.

Bens culturais

Bens culturais são elementos representativos da história e da cultura de um lugar e que são importantes para o grupo de pessoas que ali vivem. Os municípios de Coremas e São José da Lagoa Tapada não possuem bens tombados. Já o município de Pombal possui 1 bem tombado, isto é, protegido por lei pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do estado da Paraíba – Iphaep:

  • Igreja Nossa Senhora do Rosário
HISTÓRIA PB
Portal Paraíba Criativa. (http://www.paraibacriativa.com.br)

 Existem nos três municípios referências culturais que são reconhecidas por sua população, entre as quais estão:

Em Coremas:

  • Ceramistas quilombolas – Comunidade Quilombola Mãe D’Água

ceramista quilombola Coremas

Acervo A Lasca Arqueologia, 2018.

  • Grupo de Xaxado

Xaxado-Coremas

Acervo da Secretaria Municipal de Cultura.  

Em Pombal:

  • Grupo dos Pontões – festividades em homenagem à Nossa Sr.ª do Rosário; Comunidade Quilombola dos Rufinos.

Pontões em Pombal

Acervo da Secretaria Municipal de Cultura e Esportes.

  • Congos

Congos - Pombal

Rei dos Congos de Pombal.

Acervo A Lasca Arqueologia, 2018.

Em São José da Lagoa Tapada:

  • Grupo de Quadrilha Junina

Quadrilha junina - São José da Lagoa Tapada

Acervo pessoal de Alisson de Sousa (‘Cocó’).

  • Grupo de Pífanos

SJLT -Grupo Pífanos - Sr Antonio Fernandes Neto 88 anos

Sr. Antonio Fernandes Neto, 88 anos, pifeiro. 

Acervo A Lasca Arqueologia, 2018.

Sítios arqueológicos na região

No Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos – CNSA, banco de dados mantido e atualizado pelo Iphan, estão registrados 186 sítios arqueológicos no estado da Paraíba.
No entanto, nenhum deles encontra-se nos municípios de Coremas e São José da Lagoa
Tapada.

Já em Pombal, existe o sítio Pau de Leite, em área de grande afloramento de gnaisse, com gravuras rupestres em sua maioria geométricas, associadas à Tradição
das Itacoatiaras.

No território paraibano são conhecidos sítios de variados tipos, como abrigos sob rocha (com ou sem pinturas rupestres, associados a fogueiras, a sepultamentos, etc.), sítios com materiais líticos e ainda outros com materiais cerâmicos.

A quem comunicar caso encontre vestígios arqueológicos na cidade:

Superintendência do Iphan na Paraíba
Telefone: (83) 3241-2896 / e-mail: iphan-pb@iphan.gov.br
Para saber mais:
Centro Nacional de Arqueologia – Licenciamento Ambiental – Educação Patrimonial

* ESTE TEXTO FAZ PARTE DO CONJUNTO DE PRODUTOS DESENVOLVIDOS PELA A LASCA ARQUEOLOGIA PARA ESCLARECIMENTO À COMUNIDADE LOCAL, EM ATENDIMENTO À INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 1/2015 E PORTARIA N. 137/2016 DO IPHAN.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s