Estudos arqueológicos em Curitiba

[ATIVIDADE DE ESCLARECIMENTO]*

Arqueólogos da A Lasca estarão em Curitiba (PR) para realizar estudos de campo. Nesse período serão entregues folhetos explicativos na Biblioteca Farol do Saber – São Pedro e São Paulo objetivando informar à população local sobre a necessidade de estudos arqueológicos para o licenciamento ambiental de empreendimentos modificadores do meio ambiente.

Essas ações de esclarecimento e extroversão integram o projeto de Avaliação de impacto ao patrimônio arqueológico na área de implantação do Condomínio Residencial Piazza Palermo, localizado na Rua Luiz Nichele, no Bairro Umbará. Esse estudo foi autorizado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, órgão do Governo Federal responsável pela gestão do patrimônio arqueológico, por meio da Portaria n.º 66 de 05/11/2018.

Por que são necessários esses estudos?

Sítios arqueológicos são bens da União e são protegidos por legislação federal, Lei n. 3.924/61, sendo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan o órgão responsável pela proteção desses sítios. A legislação objetiva a proteção desses bens e exige estudos prévios como forma de garantir a redução dos impactos ao patrimônio arqueológico durante a implantação de atividades e empreendimento potencialmente modificadoras do meio ambiente.

Para que se possa ter sucesso na proteção dos bens culturais, sejam os arqueológicos ou quaisquer outros, é importante o entendimento de que todos nós somos responsáveis por cuidar desses bens para que as gerações futuras possam conhecê-los.

Esta ação busca estimular as percepções e envolver os moradores com seu patrimônio, desenvolvendo, ou ainda, exercitando noções de pertencimento, de identidade e alteridade. Estas atividades são forma de diálogo entre os pesquisadores e a comunidade, visando à valorização, ressignificação e proteção do patrimônio arqueológico e cultural da cidade.

Bens culturais

Bens culturais são elementos representativos da história e da cultura de um lugar e que são importantes para o grupo de pessoas que ali vivem. O município de Curitiba possui  3 bens tombados a nível federal, isto é, protegidos por lei pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan. São eles:

 

  • Museu Paranaense: coleção etnográfica, arqueológica, histórica e artística

O Museu Paranaense foi inaugurado no dia 25 de setembro de 1876, no Largo da Fonte, hoje Praça Zacarias. Com um acervo de 600 peças, entre objetos, artefatos indígenas, moedas, pedras, insetos, pássaros e borboletas, era então, o primeiro no Paraná e o terceiro no Brasil.

Fotos do Museu Paranaense
20 de Setembro de 2012

Fonte: Museu Paranaense – Secretaria de Cultura.

 

  • Museu Coronel David Carneiro: coleção etnográfica, arqueológica, histórica e artística

O terceira acervo do Museu Paranaense, adquirido em 2004 pelo Governo do Paraná, é composto pela coleção pertencente ao extinto Museu Coronel David Carneiro, com mais de 5.000 itens, entre peças de mobiliário, obras de arte, livros, documentos, numismática, ferramentas, utensílios, porcelanas, indumentária e armaria, com ênfase na história dos conflitos militares ocorridos no Paraná.

03

Fonte: Museu Paranaense – Secretaria de Cultura.

 

  • Paço da Liberdade, prédio do Antigo Paço Municipal

Inaugurado em fevereiro de 1916, na atual Praça Generoso Marques, o antigo Paço Municipal foi construído para ser a primeira sede própria da prefeitura. Projetado pelo então prefeito Cândido de Abreu, com colaboração do escultor Roberto Lacombe, o Paço substituiu o mercado que havia ali. A prefeitura permaneceu no prédio até 1969. Cinco anos mais tarde, um convênio firmado entre o Estado e o Município permitiu que ele se tornasse sede do Museu Paranaense, até 2002.

paco_full_01

Fonte: Sesc – Paço da Liberdade.

 

Sítios arqueológicos na região

No Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos (CNSA), disponível na página eletrônica do Sistema de Gerenciamento do Patrimônio Arqueológico (SGPA) do Centro Nacional de Arqueologia do Departamento de Patrimônio Material e Fiscalização (DEPAM) do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), estão registrados oficialmente 20 sítios arqueológicos em Curitiba. Entre eles estão:

Sítios arqueológicos líticos (com artefatos feitos em rocha) – Olaria Pellanda 1, Córrego Passo do Melo, Florestas das Imbuias e Córrego Aterradinho.

Sítios arqueológicos cerâmicos – Bairro Alto, Olaria Pellanda 2, Sanga, Pinheiro, Olaria Pellanda 3, Arroio da Prensa-1, 2, 3 e 4, Rio do Moinho, Duas Lagoas 1 e 2, Canal do Iguaçu 1 e 2, Mata do Santana e Cemitério de Índios de Curitiba.

Além disso, ressaltamos ainda que nos registros oficiais do CNA-IPHAN entre os anos de 1991 até o presente, foram autorizados 46 estudos arqueológicos no município de Curitiba.

A quem comunicar caso encontre vestígios arqueológicos na cidade:

Superintendência do Iphan no Estado do Paraná
Telefone: (41) 3264-7971 / e-mail: iphan-pr@iphan.gov.br
Para saber mais:
Centro Nacional de Arqueologia – Licenciamento Ambiental – Educação Patrimonial

* ESTE TEXTO FAZ PARTE DO CONJUNTO DE PRODUTOS DESENVOLVIDOS PELA A LASCA ARQUEOLOGIA PARA ESCLARECIMENTO À COMUNIDADE LOCAL, EM ATENDIMENTO À INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 1/2015 E PORTARIA N. 137/2016 DO IPHAN.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s