Estudos arqueológicos em Alto Araguaia

[ATIVIDADE DE ESCLARECIMENTO]*

Arqueólogos da A Lasca estarão em Alto Araguaia (MT) para realizar estudos de campo. Nesse período, serão entregues folhetos explicativos na Secretaria Municipal de Esportes, Cultura, Lazer e Turismo para disponibilização em espaços culturais com o objetivo de informar as pessoas sobre a necessidade de estudos arqueológicos para o licenciamento ambiental de empreendimentos.

Essa ação de esclarecimento integra o projeto de Avaliação de impacto ao patrimônio arqueológico na área de implantação da Fábrica de celulose branqueada. Esse estudo foi autorizado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, órgão do Governo Federal responsável pela gestão do patrimônio arqueológico, por meio da Portaria n.º 9 de 07/02/2020.

55b723cceafb7212f21911bc7a054a2d

Fonte: Portal da Prefeitura Municipal de Alto Araguaia

Por que são necessários esses estudos?

Sítios arqueológicos são bens da União e são protegidos por legislação federal, Lei n. 3.924/61, sendo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan o órgão responsável pela proteção desses sítios. A legislação objetiva a proteção desses bens e exige estudos prévios como forma de garantir a redução dos impactos ao patrimônio arqueológico durante a implantação de atividades e empreendimento potencialmente modificadoras do meio ambiente.

Para que se possa ter sucesso na proteção dos bens culturais, sejam os arqueológicos ou quaisquer outros, é importante o entendimento de que todos nós somos responsáveis por cuidar desses bens para que as gerações futuras possam conhecê-los.

Esta ação busca estimular as percepções e envolver os moradores com seu patrimônio, desenvolvendo, ou ainda, exercitando noções de pertencimento, de identidade e alteridade. Estas atividades são forma de diálogo entre os pesquisadores e a comunidade, visando à valorização, ressignificação e proteção do patrimônio arqueológico e cultural da cidade.

Sítios arqueológicos na região

A mesorregião sudeste do Mato Grosso conta com sítios que aparecem em abrigos e em áreas abertas, com algumas datações que apontam para as primeiras ocupações humanas do Centro-Oeste entre 12.000 e 10.000 anos AP (Antes do Presente). Estes grupos estariam vinculados à presença de caçadores-coletores que se estabeleceram na região entre o final do Pleistoceno e o início do Holoceno.

Em consulta ao registro de sítios arqueológicos no Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos – CNSA/CNA foram identificados oito sítios no município de Alto Araguaia. Entre eles estão:

Sítio arqueológico Matinha 1: Sítio lítico, ou seja, com presença de materiais lascados em rocha, associado à Tradição Itaparica, fase Paranaíba;

Sítio arqueológico Divisa 1: Sítio cerâmico, ou seja, com a presença de fragmentos de objetos feitos em cerâmica;

Sítio arqueológico Centopéia: Gruta com pinturas rupestres e sedimento arqueológico.

 

A quem comunicar caso encontre vestígios arqueológicos na cidade:

Superintendência do Iphan em Mato Grosso
Telefone: (65) 3322-9904 / e-mail: iphan-mt@iphan.gov.br
Para saber mais:
Centro Nacional de Arqueologia – Licenciamento Ambiental – Educação Patrimonial

* ESTE TEXTO FAZ PARTE DO CONJUNTO DE PRODUTOS DESENVOLVIDOS PELA A LASCA ARQUEOLOGIA PARA ESCLARECIMENTO À COMUNIDADE LOCAL, EM ATENDIMENTO À INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 1/2015 E PORTARIA N. 137/2016 DO IPHAN.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s