Novos Estudos em Guarulhos

[ATIVIDADE DE ESCLARECIMENTO]*

No final do mês de agosto foram realizados estudos arqueológicos em uma área próxima aos bairros Parque Residencial Bambi e Jardim Ponte Alta, no município de Guarulhos (SP). 

Paralelamente, em parceria com o CEU Ponte Alta e o CEU Bambi, foram difundidos, por meio dos seus canais de comunicação, o folheto explicativo digital – Por que o Patrimônio Cultural é tão importante? Novos Estudos Arqueológicos em Guarulhos – para informar à população local sobre a necessidade de estudos arqueológicos para o licenciamento ambiental de empreendimentos modificadores do meio ambiente.

Essas ações de esclarecimento e extroversão integram o projeto de Avaliação de impacto ao patrimônio arqueológico na área de implantação do Galpão Logístico Goodman Guarulhos, estudos autorizados pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan, órgão do Governo Federal responsável pela gestão do patrimônio arqueológico, por meio da Portaria n.º 55 de 24/08/2020.  

Por que são necessários esses estudos?

Sítios arqueológicos são bens da União e são protegidos por legislação federal, Lei n. 3.924/61, sendo o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – Iphan o órgão responsável pela proteção desses sítios. A legislação objetiva a proteção desses bens e exige estudos prévios, como forma de garantir a redução dos impactos ao patrimônio arqueológico, durante a implantação de atividades e empreendimento potencialmente modificadoras do meio ambiente.

Para que se possa ter sucesso na proteção dos bens culturais, sejam os arqueológicos ou quaisquer outros, é importante o entendimento de que todos nós somos responsáveis por cuidar desses bens para que as gerações futuras possam conhecê-los.

Esta ação busca estimular as percepções e envolver os moradores com seu patrimônio, desenvolvendo, ou ainda, exercitando noções de pertencimento, de identidade e alteridade. Estas atividades são formas de diálogo entre os pesquisadores e a comunidade, visando à valorização, ressignificação e proteção do patrimônio arqueológico e cultural da cidade.

Informações sobre a região

O conhecimento arqueológico da área remete à ocupação indígena no período pré-colonial e à primeira atividade econômica de Guarulhos, a partir do final do século XVI, de extração de ouro. A região, que ficou marcada pelos seus garimpos, tem, ao menos, seis deles conhecidos: Bairro das Lavras, Catas Velhas, Monjolo de Ferro ou Lavras Velhas do Geraldo, Campos dos Ouros, Bananal e Tanque Grande. Estudos relatam o grande declínio dessa atividade em meados do século XIX. 

Bens Culturais

Bens culturais são elementos representativos da história e da cultura de um lugar e que são importantes para o grupo de pessoas que ali vivem. O município de Guarulhos demonstra grande preocupação e zelo pelos seus bens, tanto materiais quanto imateriais, e oferece a ferramenta: GRUCultura (http://grucultura.guarulhos.sp.gov.br/) que mapeia pessoas, grupos, entidades, espaços, eventos e projetos culturais.

E possui 2 bens tombados, isto é, protegidos por lei pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo – Condephaat, são eles:

  • Escola Estadual Conselheiro Crispiniano (antigo Ginásio de Guarulhos);
Fonte: Condephaat
  • Reserva Estadual da Cantareira e Horto Florestal (engloba os municípios de Caieiras, Guarulhos, Mairiporã e São Paulo). 
Fonte: Condephaat

Sítios Arqueológicos

 Um número significativo de pesquisas arqueológicas já foi feito em Guarulhos.

Em consulta ao registro de sítios arqueológicos no Cadastro Nacional de Sítios Arqueológicos – CNSA, banco de dados mantido e atualizado pelo IPHAN, foram identificados seis sítios no município de Guarulhos. São eles: 

  • Sítio Cavas de Mineração 1: com duas cavas de mineração em morro;  
  • Garimpo de Ouro do Ribeirão das Lavras: sítio histórico de mineração de ouro; 
  • Sítio Arqueológico Candinha 01: de natureza colonial com edificação sede assobradada, em alvenaria de tijolos e taipa de pilão; 
  • Sítio InterCement 01: de natureza histórica composto por  estruturas em dois patamares, com alicerces de pedra seca e bolsões de descarte de material; 
  • Sítio Itauberaba 01:  um conjunto de edificações de feição rural;
  • Sítio Cabuçu 1: de natureza histórica composto por área de descarte de vestígios domésticos.

Há mais um sítio, o Baquirivu-Mirim, também relacionado ao período aurífero de Guarulhos. Na área do Geoparque Ciclo do Ouro, há registro de 6 geossítios e sítios históricos culturais, contendo estruturas de mineração aurífera e habitacionais associadas.

Ouça o Podcast: Em Campo com A Lasca Arqueologia

Disponível em: https://open.spotify.com/episode/0XXYqDbbyqkBNtMfkG7uUu
A quem comunicar caso encontre vestígios arqueológicos na cidade:

Superintendência do Iphan no Estado de São Paulo
Telefones: (11) 3826-0744 / 3826-0905 / 3826-0913
Para saber mais:
Centro Nacional de Arqueologia – Licenciamento Ambiental – Educação Patrimonial

ESTE TEXTO FAZ PARTE DO CONJUNTO DE PRODUTOS DESENVOLVIDOS PELA A LASCA ARQUEOLOGIA PARA ESCLARECIMENTO À COMUNIDADE LOCAL, EM ATENDIMENTO À INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 1/2015 E PORTARIA N. 137/2016 DO IPHAN.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s